Notas metodológicas

 

LA2 – Taxa de rotatividade = número de saídas de colaboradores / número total de colaboradores

LA7 - Taxa de lesões, doenças profissionais, dias perdidos, absentismo e óbitosrelacionados com o trabalho, por região

Taxa de Lesão (observação: deve conter óbitos. Os óbitos devem aparecer em valor absoluto);

Taxa de doenças ocupacionais (As doenças ocupacionais da Sonaecom estão relacionadas com baixa psiquiátrica e postura. Como essa informação consta do boletim médico do colaborador é considerada informação confidencial pelo que a única informação a que temos acesso é Doença Natural.)

Taxa de gravidade = número de horas de trabalho perdidas por ausência relacionada com acidente de trabalho ou doença profissional / potencial máximo anual (horas trabalháveis = nº de colaboradores*21 dias * 11 meses * 8 horas)

Taxa de absentismo = número de horas de trabalho perdidas por ausência / potencial máximo anual (horas trabalháveis = nº de colaboradores*21 dias * 11 meses * 8 horas).

Foram considerados para absentismo as ausências devido a doença, baixa médica, assistência a família, acidentes de trabalho, quarentena, consultas médicas e suspensões por processos disciplinares.

Nos Media os horários de trabalho diários são de 7h ou 7,5h, dependendo da função. No entanto, para que se mantivesse a coerência com as restantes empresas, optou-se por considerar os dias de trabalho de 8h.

LA10 - Média de horas de formação, por ano, por trabalhador, discriminadas por categoria de funções

Fórmula utilizada: Volume de horas de formação = n.º de horas de formação x n.º de formandos.

Formação colaboradores = Todos os tipos de formação e instrução profissional + licença remunerada para estudos fornecidos pela Sonaecom aos seus empregados + treino ou capacitação realizados externamente e pagos parcial ou integralmente pela Sonaecom + treino em temas específicos como Segurança e Saúde (este autonomiza-se como indicador próprio).

Não inclui coaching na empresa por supervisores.

LA14 - Discriminação do rácio do salário base entre homens e mulheres, por categoria de funções

Fórmula utilizada: Salário base médio das mulheres / salário base médio dos homens


EN1. Materiais utilizados, por peso ou por volume

Contabilização dos materiais utilizados tais como o material de marketing central (utilizado nas campanhas, .); material das embalagens colocadas no mercado; papel utilizado na produção do jornal; papel utilizado no mailing (inclui facturação); documentação enviada pelo armazém; e equipamentos e pilhas colocadas no mercado. Embalagens (valores declarados à SPV); EEE – Equipamentos Eléctricos e Electrónicos (valores declarados à ERP); pilhas (valores declarados à Ecopilhas); produtos produzidos e colocados no mercado pelo Público (livros, CD, DVD,....).

EN2. Percentagem de materiais utilizados que são provenientes de reciclagem

Fórmula utilizada: Total de materiais reciclados usados/ materiais usados x 100

Os materiais reciclados utilizados pela organização dizem respeito ao papel e toners usados nos escritórios.

EN3. Consumo directo de energia, discriminado por fonte de energia primária

O combustível utilizado pelos geradores é calculado tendo em consideração as especificações técnicas dos equipamentos e o número de horas de funcionamento. 

Os valores de combustível da frota têm por base os registos do Galp Frota. De 2006 a 2008 usaram-se os valores agrupados por tipo de combustível. Em 2009 usaram-se os valores agrupados por tipo de viatura. 

Para a conversão para GJ dos consumos de gasóleo e gasolina, foram utilizados os valores de densidade retirados das fichas de segurança destes produtos (http://www.bp.com) e a informação existente na tabela de conversões do Protocolo GRI.

EN4. Consumo indirecto de energia, discriminado por fonte primária

A energia das instalações maiores (escritórios, MSC, DC) foi calculada com base na leitura electrónica. 

A energia das instalações mais pequenas (lojas) foi calculada através de leitura dos contadores; 

Os consumos dos sites foram baseados nos valores das facturas à excepção das centrais da rede fixa que correspondem à leitura real.

EN8. Consumo total de água, por fonte

Contabilização realizada a partir dos contadores de água existentes nas instalações (escritórios incluindo DC + MSC +lojas próprias de rua).

EN16. Emissões totais directas e indirectas de gases com efeito de estufa, por peso

Os Factores de Emissão são calculados com base no IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change) das Nações Unidas, no NIR (National Inventory Report) da APA (Agência Portuguesa do Ambiente) e no Greenhouse Gas Protocol.

O factor de emissão para 2009 da electricidade adquirida é:

Electricidade (kgCO2/kWh), 2009 = 0,341 (Fonte: ERSE, ver link: http://www.erse.pt/pt/desempenhoambiental/ rotulagemenergetica/comparacaoentrecomercializadores /Paginas/default.aspx).

Electricidade (kgCO2/kWh), 2008 = 0,328 (Fonte: factor definido a partir da metodologia desenvolvida pela Ecoprogresso com base nos dados discriminados por produtor pela ERSE.)

EN17. Outras emissões indirectas relevantes de gases com efeito de estufa, por peso

Os Factores de Emissão são calculados com base no IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change) das Nações Unidas, no NIR (National Inventory Report) da APA (Agência Portuguesa do Ambiente) e no Greenhouse Gas Protocol.

EN20.  NOx, SOx e outras emissões atmosféricas significativas, por tipo e por peso

 

CO

NOX

COVNM

CH4

PM

Gasolina

61,56

9,18

8,5

0,71

0,03

Gasóleo

3,2

11,28

0,57

0,04

0,72

Fonte - Factores de emissão (g/kg combustível) para Portugal, ano 2005. CORINAR: Guidebook 2009

 

Densidade

Gasolina

0,75

Gasóleo

0,84

Fonte - CORINAR: Guidebook 2009

EN22. Quantidade total de resíduos, por tipo e método de eliminação

Os valores quantificados são os valores presentes nas GAR enviadas ao GA. Relativamente aos resíduos indiferenciados, na Grande Lisboa são consideradas as quantidades recolhidas por um operador de resíduos, mais a recolha efectuada pelo Parque Expo. Nas restantes instalações são consideradas as quantidades recolhidas pela respectiva autarquia. Estes valores são estimados.


PA 3. Políticas e práticas para assegurar disponibilidade e confiabilidade dos produtos e serviços de telecomunicações e quantificar, quando possível, por específicos períodos de tempos e localizações em que estiveram em baixo.

São contabilizados todos os registos de incidentes (Netfault) que sejam classificados como "interrupção de serviço" e com o "número potencial de clientes afectados diferente de zero". Na rede móvel, devido às condições de sobreposição de cobertura, foi considerado um número mínimo de estações para considerar ausência total de serviço (número de estações > = 20).


IO 4. Conformidade com as directrizes do ICNIRP (International Commission on Non-Ionising Radiation Protection) sobre exposição das emissões de Rádio frequência dos telemóveis.

Os valores apresentados referem-se ao levantamento realizado junto dos quatro principais fornecedores de equipamentos (94%) comercializados pela Optimus desde 2009.

A partir de 2010 todos os equipamentos comercializados pela Optimus incluem na ficha técnica (Ficha de produto com inclusão dos critérios a avaliar) o valor SAR.