2012

Os Pontos Negros, Souls Of Fire e Chullage já disponíveis em www.optimusdiscos.com

O projecto Optimus Discos apresenta o primeiro leque de artistas em 2012: Os Pontos Negros, Chullage e Souls of Fire passam, a partir de hoje, a integrar o portfolio da editora, sendo já possível fazer download dos seus álbuns, de forma gratuita e legal, através da plataforma Optimus Discos, sendo que os discos estão também à venda nas lojas por um preço simbólico de 4,90€.

Este projecto orgulha-se de ser único e pioneiro em Portugal, tendo alcançado na noite de 12 de Abril um importante marco no seu percurso: mobilizou milhares pessoas, no Cais do Sodré, a zona mais trendy da cidade, para ver e ouvir os novos artistas Optimus Discos, a serem lançados ao longo de 2012, e ainda algumas bandas de renome também editadas pela editora, em alguns espaços nocturnos daquela zona.

Actualmente o projecto Optimus Discos conta já com 59 artistas nacionais, tendo ultrapassado largamente o  milhão de downloads gratuitos no site www.optimusdiscos.com.


SOULS OF FIRE

A história de Souls Of Fire conta já com muitos capítulos ao longo de dez anos de existência. Com os primeiros encontros em 2000, a vontade de dar maior voz ao Reggae nacional levou o grupo a formar uma banda. Desde o início, até ao presente, os anos foram passando, assim como vários membros, amigos, lugares e muitas palavras que se traduziram em aprendizagem. Todos deixaram a sua marca e contributo e, assim, se construiu um caminho com base na partilha de música e palavras de união.
Com 2 álbuns editados, “Comunicar” (2006) e “Subentender” (2009), os Souls Of Fire trazem na bagagem muitos concertos por todo o país e sorte de terem tido encontros com as maiores influências da banda, tais como: The Waillers, Alpha Blondy, I Jahman, Groundation, Ponto de Equilíbrio, Skatalites, Don Carlos, The Gladiators, Black Uhuru, Natiruts, Gentleman, entre muitos outros.Hoje, os Souls Of Fire mantêm a chama acesa, com a fé e a persistência de que todos os dias são bons para escrever um novo capítulo.O ano de 2012 marca não apenas os 10 anos da banda como também a saída do 3º disco – “Pontas Soltas” -  e na bagagem 10 anos de concertos por todo o país.
Este trabalho sai para o mercado através da Optimus Discos e tem como primeiro single o tema “É o que é”.

OS PONTOS NEGROS
Os Pontos Negros regressam em 2012 com o quarto álbum de originais. Chama-se “SOBA LOBI” e foi gravado nos estúdios Abbey Road em Londres, a convite da editora Optimus Discos.
 “Tudo Floresce” é o tema de avanço deste “Soba Lobi” e o videoclip, realizado por Ben Monteiro, documenta a experiência única dos três dias de residência da banda no mítico estúdio londrino. 
“A curta história d'Os Pontos Negros parece por vezes uma sucessão de momentos daqueles em que alguém diz "se há uns meses me jurassem que hoje íamos estar aqui, eu não acreditava". Este episódio não é diferente.”, explica a banda.
“Às vezes é preciso que alguém tenha ideias absurdas e nos proponha desafios aparentemente impossíveis. O Henrique Amaro é uma dessas pessoas. Confesso, nós nunca nos teríamos lembrado de ir para Abbey Road. Para nossa surpresa, em Londres encontrámos todas as condições para fazer aquilo a que nos propusemos: gravar um disco em três dias.
Podíamos ser nós ou o Paul McCartney. Abbey Road goza da fama e do proveito, é uma casa da música no mais completo sentido da expressão. O que parecia uma tarefa impossível, afinal passou a correr e quando demos por isso, tínhamos dez canções gravadas e logo ali uma sensação de conquista de qualquer coisa.
Ao quarto disco já não estamos à espera de sermos a próxima explosão de popularidade na cena musical portuguesa. Francamente, já passámos por isso. O que fizemos está escrito para sempre e agora só queremos mostrá-lo a toda a gente e dizer que o ressentimento bem pode vir sentar-se à nossa mesa.”

Zé Pedro (Xutos & Pontapés):

“Eu sou fã dos Pontos Negros. Porquê? Porque quando os ouvi pela primeira vez senti que era uma coisa nova que estava a acontecer na música moderna nacional.
Com a saída do seu primeiro disco, muitas portas se abriram e muitas bandas apareceram. A história da música é feita destes pequenos acasos, e por isso os admirei desde que os ouvi.
Quanto a mim, os Pontos Negros foram responsáveis por uma agitação e mudança na música nova em Portugal. A maneira como faziam as canções, a maneira como cantavam e as letras que escreviam, eram novas e refrescantes. Certamente na altura, muitos músicos e bandas, pensaram 'isto também eu sou capaz de fazer', e isso é genial. É um sentimento que me faz andar no tempo, e pensar que foi o que senti, quando em 77 fui a um festival Punk.
Os Pontos Negros editaram o seu segundo disco, e passaram por uma enorme crise fonográfica, que os levou a ficarem encalhados, logo numa altura em que estavam a crescer e a lutarem por uma posição no mercado nacional. Por serem os primeiros sofreram por isso, e foram empurrados para canto. Contudo não se separaram, e esperaram uma nova oportunidade, que veio pela mão de Henrique Amaro que os desafiou a gravarem  um novo disco.
Aproveitaram o convite e foram 3 dias para Londres onde gravaram as bases de 10 novas músicas nos célebres estúdios Abbey Road. O terceiro disco dos Pontos Negros, com o nome de Soba Lobi, é um óptimo disco com uma honestidade fantástica. Quero ver isto ao vivo rapidamente!”


CHULLAGE

Com o EP “Rapressão Preview”, lançado digitalmente em Dezembro de 2011, Chullage já tinha levantado o véu do que seria o terceiro disco da sua carreira, “Rapressão”.
Mantendo, como não podia deixar de ser, um carácter de crítica social, Chullage faz de “Rapressão (Rap, Ruas e Resistência)” uma caixa de ressonância de gritos de afro-descendentes retidos nos enclaves étnicos da Europa ou de outros de todo o mundo que querem ocupar as ruas cansados de viver em pousio económico.
“Rapressão” apresenta temas de sempre, afinal tão actuais. É uma espécie de slideshow musical com estórias e histórias que algures num frame podem ser de qualquer um.  Conta com a militância dos bombos, tarolas, scratches e samples da velha escola e os synths da actualidade, introduzindo igualmente elementos acústicos e samples de músicas de intervenção com 30 anos de vida que soam mais actuais do que nunca. 
"Já não dá" é o primeiro single a destacar de “Rapressão”: é o grito de basta que antecede o cocktail molotov prestes a voar das mãos duma geração que não consegue edificar o futuro pois nem tem a planta do presente. Produzido por Brainkilla e co-produzido por dB e 4th Dimension, convoca um sample de “Assim Como Quem Nasce”, escrito por Paulo de Carvalho e interpretado por Luisa Basto, e outro de “Eh Companheiro” de José Mario Branco para engrossar as fileiras deste protesto.
Chullage volta a pôr um álbum fora em Abril, não para celebrar o de 74 mas antes para apelar  uma nova “Unidade e Luta”, lema usado por Amilcar Cabral para galvanizar uma guerrilha que se afigura mais necessária do que nunca nas novas colónias do imperialismo: as nossas mentes.

Informação sobre as Bandas disponível também em anexo.

Sobre a Optimus Discos
Criada de raiz pela Optimus, a Optimus Discos conta com direcção artística de Henrique Amaro, que volta a garantir uma criteriosa selecção das bandas e artistas a editar. Este projecto aposta fortemente na inovação e, pela primeira vez, permite o download de música legal e gratuita para computador.
Toda a informação sobre o projecto pode ser consultada em www.optimusdiscos.com.

O que nos liga é Optimus

download